Pesquisar
Close this search box.

Em sessão na CMJP, Queiroga enxerga direita brasileira em seu momento mais forte

Compartilhe o Post

Em sessão especial na Câmara Municipal, pré-candidato à prefeitura de João Pessoa e ex-ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (PL), afirmou que após o ato realizado pela direita na Avenida Paulista, em São Paulo, atendendo a uma convocação do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) a direita possui boas perspectivas seja em João Pessoa, como em todo o Brasil. “A direita conservadora vem contribuindo desde 2018 com o presidente Bolsonaro para a verdadeira democracia. Esse movimento está mais forte do que nunca e unidos vamos vencer a eleição em João Pessoa, governando a partir de janeiro com uma bancada conservadora que será maioria”, afirmou o cardiologista.

Queiroga também negou que exista qualquer divisão na direita após o pastor Sérgio Queiroz anunciar a sua filiação ao ‘Partido Novo’. O cardiologista afirmou que hoje toda a direita segue os direcionamentos passados pelo ex-presidente da República, Jair Bolsonaro. Queiroga exaltou a vitória de Sérgio Queiroz nas urnas de João Pessoa na disputa ao Senado em 2022, deixando em aberto a possibilidade de ter Sérgio Queiroz como seu companheiro de chapa majoritária na disputa pela prefeitura da Capital.  

A sessão trouxe especialistas e representantes da sociedade civil e foi proposta pelo vereador Carlão (PL).

Outras presenças

O deputado estadual Walber Virgulino (PL) destacou a iniciativa da realização da sessão. “Nós temos como na qualidade de representante do povo de unir a direita conservadora, mas para isso nós precisamos explicar a algumas pessoas o que é direita conservadora, quais são os preceitos e princípios que nós defendemos”, pontuou.

“Nós temos sim que ter esse projeto de poder e temos que assumir o que nós defendemos porque se nós não tomarmos a frente, eles irão tomar e depois não adianta ir para as ruas só manifestar”, disse Michele Faria, vice-presidente da Marcha da Família.

Alisson Novaes, presidente estadual do partido Conservador, colocou que “a criação de um comando estratégico do conservadorismo passa por debates como esse e que quando falamos em movimento conservador, precisamos ter uma ideia do vem a ser conservadorismo, precisamos ter conceitos claros. Será que estamos prontos para defender nossa ideologia? acho que não, porque conservadorismo não é ideologia”.

O vereador Coronel Sobreira (MDB) concluiu dizendo que a direita está presente, é crescente, está atenta e irá continuar firme.

Participaram ainda da sessão especial Helder Florêncio, representante do partido Novo; Cristina Medeiros, advogada; Raquel Santana, além de Cláudia Gonzaga, técnica de enfermagem; Marcelo Queiroga, ex-ministro da Saúde, entre outros.

Compartilhe o Post

Mais do Nordeste On.